segunda-feira, dezembro 08, 2008

Meu querido Nick,


Oito anos de alegria que vc me deu. Oito anos de muita risada, carinho, cumplicidade e amor.

Na viagem pra casa, lembro que vc vomitou. Era tão pequenininho, uma bolinha de pêlo, e cabia no meu colo. A coisa mais linda. E me acostumei a deixar vc me cheirar inteira, quando eu chegava, afinal, como bom guardião, vc queria saber onde e com quem eu estava.

Nunca vou me esquecer do dia em que vc descobriu o carretel de fita que a minha mãe guardava pra amarrar as plantas. Tinham uns cinco mil metros de fita, e vc se enrolou todo nela, e ficou abanando o rabo, tão orgulhoso de si.

O dia em que vc voltou pra casa do veterinário com um cone amarrado no pescoço foi hilário. Parecia uma criança feliz com um brinquedo novo, querendo mostrar como é que se brinca. Depois, quando viu que aquilo não era brinquedo, ficou todo chateado, deitado, de canto, até o dia em que finalmente retiraram o cone de vc.

E vc vinha e me obrigava a fazer carinho em vc, enfiando o focinho por baixo do meu braço ou da minha perna. Se eu estava deitada no sofá, vc entrava escondido em casa e colocava a cabeça no meu peito: "oi, cheguei, que tal um carinho agora"? Que escolha mais eu poderia ter? E também dava a patinha, melhor dizendo, pedia a patinha de outra pessoa, quando alguém se abaixava mais ou menos na sua altura, vc levantava a perninha pedindo pra pessoa segurar pra vc.

Na hora de comer, vc pegava sua panelinha e vinha pedir o seu almoço ou janta. Também sabia que ia ganhar pãozinho pela manhã. Eu sempre dividia o miolo do meu pão com vc. Se alguém saía mastigando alguma coisa no quintal, vc se sentava pq tb queria um pedaço. Vc chupava manga, literalmente! E comia coco. Era engraçado ver vc comendo torrada. Mas nas refeições oficiais, estalava a língua de tão gostosa que a comida estava.

Quando voltava do banho, vinha desfilando, de gravatinha no pescoço, como quem pergunta se ficou bonito.

Das vezes em que me chateava com alguma coisa, ia brincar com vc no quintal. E dizia que vc era o meu prícipe encantado, que, ao invés de ter vindo em forma de sapo, veio em forma de cachorro, e te enchia de beijos na cabeça.

Tanta história, meu querido. Tanta lembrança... tanto amor no seu olhar! E vc é um dos meus orgulhos. Vc era mais um filho dos meus pais, e nosso irmão! Quanta cumplicidade! Eu nunca, nunca conheci um cachorrinho como vc. Colocava qualquer Lassie, Rin Tin Tin e Beethoven no chinelo. Todo mundo te adorava. Todo mundo me perguntava de vc.

Eu sabia que um dia vc iria embora, assim como também eu irei, um dia. Só não imaginei que vc tivesse de sentir tanta dor. E ainda doentinho, conseguia ser tão meigo.

Fique em paz, meu amor, meu irmão, meu filho, meu companheiro, aí no céu dos cachorros. Posso dizer que o cachorro mais legal do mundo conviveu comigo.


Te amo, vc pra sempre será uma das minhas memórias mais bonitas.

8 comentários:

Natália disse...

Eu acho triste quando acontesse essas coisas. Porque a gnt realmente se apaixona por essas figurinhas peludas. E ela acabam indo logo, porque sua estadia aqui é mais curta do que se espera de um ser humano. Mas deixa tantas saudades quanto.

E não preciso nem dizer que sua homenagem foi perfeita, né. Até deixou meus olhos meio marejados, porque eu lembrei do meu lá em casa, que já tá numa idadezinha considerável.

Bjos e td de bom.

Ka disse...

Ah nao! Que sux.. :(

Enxaqueca disse...

=(

É muito ruim perder um amigo...

_Ton_ disse...

Que triste...
Pra nós que gostamos, eles são mais um membro na família. E como é triste perder alguém de quem se gosta.
Lamento pela sua perda.

Rogério disse...

Caraio! Me arrancou lágrimas!
lembrei da minha que faz tempo que se foi, mas que faz uma falta danada!

Lembro dela latir de boca fechada pra nao fazer barulho, de fazer cabo de guerra com a lingua do meu tênis e sempre transformar os dias chatos em dias incriveis!

Beleza de Ser disse...

Que triste...
Nos dão tanto carinho, alegria... e deixam uma saudade enorme quando se vão.

Carlos Howes disse...

Que ele tenha um bom descanso. =(

vinilliterario disse...

Definitivamente, são os melhores amigos do homem - e da mulher, mais ainda, pq são exemplos gigantes de fidelidade.

Postar um comentário