quinta-feira, junho 05, 2008

Eu sou estranha

Faço tudo ao contrário.

Do avesso, mesmo. Das formas mais complicadas e que só eu entendo. Me enrosco, tropeço, caio, enfim, me estrepo. Mas faço. Eu quebro a cara, na maioria das vezes.

Mas quer saber? Como sempre, eu não me importo.

Vamos que vamos. No fim o que acaba valendo a pena são as histórias bonitinhas que eu vou inventar pra gente, as músicas onde eu vou tentar nos encaixar e os posts que eu vou fazer no meu blog.

E ô, lá em casa, viu! Ô, lá em casa limpando, cozinhando e lavando, tudo isso pra mim e ao som de Belle and Sebastian!

Ai, ai.

2 comentários:

Júlio-Sama disse...

É mais ou menos assim... né?

De que adianta se preocupar, se vamos morrer no final.

Acho que, devemos conquistar a nossa propria felicidade, sem se importar com os outros.

Mas afinal, de que eu estou falando? D:

Amanda Bia disse...

temos todos nossas estranhezas. e quebrar a cara já virou lei. é incrível como a gente mais erra do que acerta, né? difícil é não desanimar. mas com alguém do lado tudo fica bem mais fácil.
beijos!

Postar um comentário