sábado, agosto 26, 2006

O homem da minha vida

Eu costumo falar que o homem da minha vida, no dia em que me conhecer, cinco segundos depois de me dar tchau, vai vir correndo atrás de mim com um buquê de gérberas vermelhas e cantando "You And Me Song" do Wannadies. E aí seremos felizes pra sempre.

Estive pensando nisso hj e me lembrei de um post que fiz no meu finado blog Watching The Wheels, intitulado "Tipinhos Adoráveis". Foi meio baseado num texto da 02 Neurônio que eu li qdo adolescente, daí resolvi fazer a minha versão dos tipinhos que eu adorava na época. A coisa ficou diferente hj em dia, eu adicionaria que adoro homem hetero afeminado por exemplo, mas o tema desse post é o que me atraía, e não o que me atrai. De lambuja, vou pôr um asterisco (*) verde no que ainda me chama a atenção, mas por enquanto, fiquem com esse post de alguns anos atrás:

Tipinhos Adoráveis

Baseado em caras que fizeram/fazem parte da minha vida...

#1 – O Estiloso

Usa uma camiseta com alguma estampa bacana, com uma jaqueta por cima. A calça tem pelo menos um rasguinho, e geralmente ele usa um All Star meio batido. Não vive sem óculos escuros, preferencialmente de lentes degradés. O cabelo está no ponto pra ser cortado, ele mal o penteia, dá uma mexidinha com a mão e já está bom, e a barba molda o rosto, também nem muito comprida e nem muito curta. É magro, mas não esquelético, e forte sem ser bombado. Quando ele espreguiça, você pode jurar que as portas do céu se abriram: a camiseta levanta, revelando a barriguinha, o umbigo, o elástico da cueca e o caminho da felicidade.

Normalmente adoram meus óculos, curtem o mesmo som que eu (geralmente Los Hermanos). Me acertam em cheio. Não basta se vestir do jeito deles: precisa ter o feeling.

#2 – O Básico

Costumo perdoa-los por gostarem de Linkin’ Park, mas só porque curtem a mesma HQ que eu. Eles tem um quê de esportistas, alternando a camiseta básica com estampa discreta com uma calça de tac-tel, ou um jeans confortável. O tênis varia de Asics a Nike. Usam gel no cabelo por cortar, e não dispensam, eventualmente, a barba por fazer.

Eles tentam me impressionar, na maioria das vezes, embora eu já conheça o jogo deles, o que acaba sendo muito, muuuuito fofo. Eles também têm um olhar meigo e são cheirosos, o suficiente pra eu me derreter.

#3 – O Pânquiróqui Rardicóri*

Sempre integram uma turminha metida a indie, e isso chega a me irritar, até eu virar indie também. É que eu gosto de fazer parte da conversa, e os amigos dele me deixam um tanto quanto encabulada. Eles usam camisetas com cores fortes, estampas estilosas com letras de música, bermuda e/ou calça larga. Também aderiram ao All Star, mas normalmente o deles está sempre limpo. As meias quase que chegam na canela, com faixas pretas no final (ou começo?). E eles também têm maneiras totalmente inusitadas de cumprimentar o irmão indie.

Desses aí, eu só provei um. Normalmente nunca me dão bola, já gostei de alguns. Impressionam com a inteligência e o papo cabeça, e meu pai nunca gosta deles.

*Não pretendo fazer alusões a ninguém com a descrição deste tipinho, mesmo porque no momento não me encontro interessada em nenhum Pânquiróqui.

#4 – O Melhor Amigo*

Nossos pais adoram eles, e nem ligam se precisam dormir em casa! Todo mundo faz piadinha com vocês, do tipo “tá namorando, tá namorando”, porque geralmente acham que vocês deveriam ter algo. Nananinanão! Isso é um tabu entre vocês, pois um de vocês já teve uma experiência semelhante no passado, e, pode acreditar, foi um tanto quanto traumatizante. Eles têm uma queda por sapatênis, usam óculos, pintam o cabelo de roxo, e usam um corte de cabelo totalmente desgrenhado. Usam camisa aberta por cima da camiseta, com estampa de banda ou herói de HQ, e usam calça larga. Vocês metem o bedelho um na vida do outro, comem tranqueiras gordurosas, vão no cinema e são viciados em cafeína.

Inicialmente você tem medo deles, mas depois de um tempo, se conhecem melhor e você sente na pele que a amizade dura.

*Tá bom, tá bom, especifiquei demais, este tipinho adorável é a.k.a. Shoiti.

#5 – O Não-Acredito-Que-Ele-É-Pé-Na-Jaca.

Ama churrasco. Inicialmente você acredita que ele fale muito sobre bebida só pra fazer graça, e pra tentar provar proas amigos que consiga beber mais que todos juntos sem cair. Daí você vê que ele curte sair também, e quando encontra com ele, uma mão segura o copo de whisky, e a outra o cigarro, pra variar, Marlboro. Entre tantas bebedeiras, passa mal, vomita e estraga a diversão de todo mundo. Ele é algo indefinível, entre surfista e largado, no dia-a-dia usa camiseta de eventos passados, e até que impressiona na balada. Não menos importante: parece beijar muito, mas muito bem. E realmente beija, pois uma amiga que tem uma amiga que já ficou com ele disse que ele beija bem, sim.

O tempo vai passando, e aquele rostinho de come-quieto vai revelando o que ele realmente gosta: enfiar o pé na jaca. E, assim sendo, infelizmente só serve pra prestar atenção. Ai, ai...

#6 – O Nerd do Rock. *

Nossa, eles conhecem Joy Division e sabem tudo sobre Ian Curtis! É de arregalar os olhos e cair o queixo, ainda mais quando ele diz que sim, conhece o Goldfinger. Já leu a biografia não-autorizada do Kurt Cobain, releu Mate-me Por Favor, e se pudessem escolher alguém pra ser em Alta Fidelidade, provavelmente seriam o Dick. E se envergonham de no passado terem comprado o X-Factor, do Iron Maiden. Gostam de preto ou azul, usam camisetas de bandas, calça jeans e tênis. Cabelo comprido, preso num rabo baixo, e um cavanhaquezinho. Engraçado, mas eles sempre são morenos, e nunca orientais, estou pra conhecer algum que seja.

Me arrependo amargamente de não ter investido mais neles. No caso, não interessa se são bonitos ou feios, porque nerds do rock simplesmente são. Oh, que puxa.

5 comentários:

Kazinha disse...

Isso me lembra um jazz muito bonitinho chamado "the man i love" na qual parte da letra fica descrevendo como que será o encontro com o "Man i love" extremamente cute.. "He'll look at me and smile, I'll understand... then in a little while, he'll take my hand... and though it seems absurd.. I know we both won't say a word". Sim, jazz sempre foi emo.

Mas eu não tenho um tipinho adorável, nem vários tipinhos.. já desisti de tentar montar alguma coisa. Acredito que o meu tipinho adorável é na verdade um atipico que acaba me conquistando e que, por algum motivo, acabamos nos identificando. Enfim, eu sei que eles existem.

Kazinha não aguentou ficar quieta e disse...

Agora, engraçado.. o seu Dick tem cabelo comprido. Nunca conheci um "Nerd do Rock" de cabelo comprido, os que conheci eram "Nerd do Gothic".

Mas já deu pra definir o seu tipinho adorável, inicialmente ele tem que usar all star, tem que ter uma visão romantica da vida (Kurt Cobain, Ian Curtis...), e tem que pagar pra ti e suas amigas irem em shows, não?

Kazinha pela ultima vez nesse post disse...

Não satisfeita: the man i love
http://www.youtube.com/watch?v=R_NZ2c25_Rk

Joyeux disse...

Nossa, eles conhecem Joy Division e sabem tudo sobre Ian Curtis!

Hahaha, as pessoas tentam, maria renata, enquadrarem-se... Mas você é exigente o bastante e as têm como filhotes de piolho!

Iara disse...

Noooossa, eu me lembro CLARAMENTE desse post. Precisamos conversar mais sobre heteros afeminados, haha, tenho minhas dúvidas e meus interesses...

É engraçado, todos os homens (meninos, vai!) com quem eu já tive algo são COMPLETAMENTE diferentes entre si. COMPLETAMENTE, é quase absurdo. Sou versátil (?!), eu acho.

Quero ver sua lsitinha nova de tipinhos, tô curiosa (;

beijos.

Postar um comentário